Sonhar alto minha pesquisa

1

Sonho de pesquisa

Vejo a nordestina se olhando ao espelho e – um rufar de tambor – no espelho aparece meu rosto cansado e barbudo. Tanto nós nos intertrocamos.
Clarice Lispector.

Hoje, sexta feira, dia vinte e um de junho, às 10 horas, escrevo meu sonho de pesquisa. Trata-se de um sonho que há muitos anos venho sonhando. Na verdade, esse é um sonho acordado. E não é, Clarice? Que “O sonho acordado é que é a realidade”? Meu primeiro sopro/sonho de pesquisa começou assim, eu meio acordada, meio hipnotizada, estranha na frente do espelho. Diante dele, eu não me enxergava, via só as cores dos meus olhos – castanhos, castanhos verdes, verdes folha, cores em metamorfose, e as indagações faladas em pensamento: eu me perguntava sobre o que é a vida, qual era a minha missão, quem me chamava, quem me acompanhava, “como tornar tudo um sonho acordado”?
Desde o início, nesse sonho de pesquisa, houve a existência/experiência do espelho, do vidro, do olhar, do outro, do eu, do ser eu, do ser outro, da falta, da falta de palavras, da palavra mais além.
Não inventei nenhuma “ ngela”, nenhum Anjo, nenhum Outro. Meu sonho de pesquisa começou a acordar quando encontrei Elzira, Lucia, Clarice, Pessoa, Vania, Manoel, Llansol, Barthes, Blanchot, Ana Maria, Foucault… Companhias… As quais me proporcionavam experiências, e as experiências me proporcionavam mais companhias. A mais recente foi a de Evando. Inicio a leitura de seu livro: “Clarice Lispector: uma literatura pensante”. Assim como ele, eu também acho que a escrita de Clarice “possibilita pensar o impensável, e que só pode haver pensamento ali onde se dá o advento da alteridade enquanto tal, o outro como Outro, em sua radical diferença”. Pensar como o Outro, quase sendo o outro, trata-se de uma “distante aproximação do outro como estranhamente familiar”. Ele questiona os limites do humano, na medida em que “traz para seu espaço formas concorrentes em relação à tradição”, figuras, diria Llansol, biografemas, diríamos eu e Barthes: “animais e objetos, texturas, paisagens, trechos musicais, ruídos e silêncios”.
Passei uma parte da noite sonhando acordada, lendo o livro de Evando, isso “é que é a realidade”. É? Na outra parte da noite, passei sonhando dormindo. Nesse sonho, de repente, quando eu me preparava para dormir, estava fechando as janelas do meu apartamento, que fica nos primeiros andares do prédio, localizado em uma avenida urbana, movimentada. Ali, apareceu o impossível, veio ter comigo, bem perto de mim – um tigre. Um tigre veio ser minha companhia.
“Como tornar tudo um sonho acordado?” Só escrevendo. Escrevendo meu sonho sonhado, meu sonho acordado, meu sonho de pesquisa. Escrevo a lembrança que tive de Ferreira Gullar, ressaltando os olhos de tigresa de Clarice. Escrevo o que ontem grifei no livro de Evando: “Não ter nascido bicho parece ser uma de minhas secretas nostalgias. Eles às vezes clamam do longe de muitas gerações e eu não posso responder senão ficando desassossegada. É o chamado”. Nessa citação, na ficção, Clarice sinaliza uma experiência de ser outro, ou como diria Deleuze, do devir-outro, devir-animal, isso, também aconteceu em meu sonho. E é por isso que escrevo. Pela Cia, pela experiência, pelo sonho de pesquisa. Escrevo por desiderare, escrevo para tornar tudo um sonho acordado. Escrevo-te sonho. Escrevo-te sonho de pesquisa. Escrevo e sonho. Sonho e escrevo.

Sabrina P. Ferreira (Lacan e Cia – 2013).

Referências bibliográficas:

GULLAR, Ferreira; PEREGRINO, Julia. [Curadoria]. Clarice Lispector: a hora da estrela. São Paulo: Museu da Língua Portuguesa, Ed. Ipsis, 2007.

LISPECTOR, Clarice. Um sopro de vida. Rio de Janeiro: Rocco, 1999

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: José Olympio, 1977.

NASCIMENTO, Evando. Clarice Lispector: uma literatura pensante. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s