Dedico-vos estes textos

Foto João Rocha

Foto João Rocha

Querida Silvina Rodrigues Lopes,

dedico-te a tradução do poema Paysages, de Henri Michaux, por compartilhar conosco a  tarefa séria do tradutor: sustentar e fazer ressoar o impossível.

João Rocha

PAYSAGES

Paysages paisibles ou désolés.
Paysages de la route de la vie plutôt que de la surface de la Terre.
Paysages du Temps qui coule lentement, presque immobile et
parfois comme en arrière.
Paysages des lambeaux , des nerfs lacérés, des « saudade ».
Paysages pour couvrir les plaies, l’acier, l’éclat, le métal, l’époque,
la corde au cou, la mobilisation.
Paysages pour abolir les cris.
Paysages comme on se tire un drap sur la tête.

Henri Michaux

 

PAISAGENS

Paisagens calmas ou desoladas.
Paisagens:
(não as da superfície da terra)
rotas da vida.
Paisagens do Tempo
que deságua
lentamente
quase imóvel
e
(por vezes)
no caminho inverso.
Paisagens dos restos, dos nervos lacerados, das saudades.
Paisagens para cobrir as feridas, o aço,
(estilhaços)
o metal, a época, o desespero, a mobilização.
Paisagens para abolir os gritos.
Paisagens ____________
como quando se estende um lençol sobre um corpo.

Tradução: João Rocha

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s