Companheiros Filosóficos

Foto Lucia Castello Branco

Foto Lucia Castello Branco

Continuamos, hoje, com a postagem das partículas que compõem a conclusão da tese de Doutorado em Teoria da Literatura e Literatura Comparada, de Erick Gontijo Costa, intitulada “acurar-se da escrita — Maria Gabriela Llansol”.

Leia, a seguir, a décima segunda partícula, intitulada “obra”:

Na obra, acontecimento desmedido, faz-se um instante natal, em que advém uma medida do acontecimento desmedido. A obra é abertura na realidade, é o que se faz no lugar da ferida aberta no próprio corpo. Medida instável, perpetuamente instável, em que se funda o texto e, dele, o mundo-casa em que possa habitar o corpo-escritor. O escritor nasce do texto, da medida escrita que é a própria divisa onde se atritam o dia e a noite acesa, a medida e a desmedida. No escrito, o que é noite é simultaneamente dia. O escritor é um primeiro movimento a se fazer obra, e só em face dela se constitui, como corpo em devir.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s