Arquivo da categoria: Uncategorized

Para que o romance não morra

Fotos de Erick Gontijo Dando continuidade à aula-poema de Erick Gontijo, àquilo que conhece o começo, a palavra começante, e não exatamente um fim, voltamos às notas desse curso de silêncio na letra de Erick, em suas anotações do poema … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Para que o romance não morra

Fotos de Ana Alvarenga “Porque o prestígio da poesia é menos não acabar do que propriamente começar. É um início perene, nunca uma chegada seja ao que for”, escreveu Herberto Helder; “Onde-vais, Drama-Poesia?”, escreveu Maria Gabriela Llansol. A poesia, em … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Para que o romance não morra

Fotos de Lucia Castello Branco “Há mais tons de branco do que a brancura faz supor”. Há o corpo que se desloca, um corpo cem memórias de paisagem. Há o barulho do mar na Bahia de Todos os Santos. E … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Para que o romance não morra

Fotos de Lucia Castello Branco Dando prosseguimento às aulas do curso de silêncio, Janaína de Paula, em 24 de setembro, apresentou seu Cor’p’oema Llansol.  A palavra cor’p’oema, por ela criada em seu processo de leitura da obra de Maria Gabriela Llansol, … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Para que o romance não morra

 Foto de Cynthia Santos Barra Foto Fernanda Teles Iniciamos hoje, com alegria, esta nova série no blog: “Para que o romance não morra”. Título de um dos discursos mais potentes de Maria Gabriela Llansol, proferido por ocasião do Grande Prêmio … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

Cadernos de exílio

Foto de Ana Alvarenga “Não posso deixar de percorrer o caminho que andei”. Esta frase de Llansol talvez possa nos servir de direção, aqui, na leitura que faremos dos fragmentos de Marina Tsvetaieva, escolhidos e transcritos por Ana Alvarenga, a … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Cadernos de exílio

Foto de Sylvie Debs Houve quem se apaixonasse pelo Brasil, começando pelo sertão, precisamente por Canudos, porque se apaixonara, antes, pela figura de Antônio Conselheiro, na abertura de A guerra do fim do mundo, de Mário Vargas Llosa. Essa cabra de … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário